Veja porque é importante definir uma estratégia de gestão de talentos aliada à estratégia organizacional

8 minutos para ler

Entre as maiores dificuldades enfrentadas pelas empresas está a alta taxa de turnover e as dificuldades na contratação de pessoas. Na prática, isso representa a incapacidade de reter seus colaboradores. Isso significa que as empresas desenvolvem e perdem profissionais estratégicos por não realizarem a gestão de talentos.

É o conjunto de competências individuais e dos times que, agregadas entre si, constrói o sucesso de uma organização. Por isso, é cada vez mais importante entender a contribuição de um RH estratégico para a obtenção de resultados no negócio.

Pensando nisso, separamos informações importantes para que você compreenda o RH como um setor estratégico. Também vamos abordar as contribuições que esse setor gera para a estratégia do negócio. Finalmente, você poderá conferir o papel da gestão de talentos nessa jornada e quais são seus processos na empresa. Boa leitura!

RH como um setor estratégico

Apesar de existir um grande número de profissionais disponíveis no mercado, muitos deles não estão de acordo com as expectativas que as empresas colocam sobre seus ombros. Pensando nisso, a busca, o desenvolvimento e a retenção de talentos são fatores de grande importância em qualquer negócio.

Mais do que adotar ações pontuais para manter os funcionários motivados, como o aumento de remuneração, é preciso tomar decisões de forma estratégica. Isso significa que é parte do papel do RH pensar suas atitudes para tornar a empresa um ambiente em que os profissionais queiram estar.

Organizar, alinhar e engajar pessoas não é uma tarefa fácil. Por isso, o RH deve estar em consonância com a estratégia do negócio, demonstrando consistência e comprometimento com quem integra as equipes. É essencial que sejam dedicados esforços para tornar as estratégias mais transparentes e compreensíveis a todos os níveis.

O papel do RH, portanto, é criar uma relação de confiança entre as pessoas e a organização, fazendo com que elas sejam parte de um mesmo objetivo. Isso significa valorizar os esforços e promover o bem-estar coletivo.

Contribuição do RH para os resultados da empresa

O RH participa de diversas etapas importantes na construção dos resultados de uma empresa. A primeira delas começa na contratação de novos colaboradores, indo até o desligamento de talentos, quando necessário.

O gestor de RH tem o papel de integrar, planejar atividades, estabelecer metas e criar condições para que os colaboradores desenvolvam seus potenciais dentro de suas atribuições. Note que esse conjunto de cuidados vai bem além da oferta de benefícios e altos salários.

RHs que contribuem para os bons resultados da empresa veem seus colaboradores como parceiros estratégicos. Por isso, eles devem estar satisfeitos, ter uma boa qualidade de vida, contar com um ambiente de trabalho saudavelmente competitivo e com oportunidades de crescimento profissional.

Tudo isso contribui para a construção de uma marca empregadora positiva. Esse fator ajudará a atrair candidatos e profissionais cada vez melhores e mais aptos a compor os times de trabalho. Além disso, investir em pessoas é fomentar o capital intelectual da sua empresa.

Papel da gestão de talentos para a estratégia do negócio

Já vimos que o RH é um setor estratégico. Além disso, ele pode contribuir para os resultados da empresa atraindo profissionais cada vez melhores — isso significa aumento do capital intelectual e entregas cada vez melhores.

No entanto, para que isso funcione, é preciso realizar a gestão de talentos. Gerenciar talentos é identificar competências e habilidades essenciais para a empresa, encontrar profissionais que as possuam, investir no seu desenvolvimento e tentar mantê-los no negócio.

Portanto, é papel importante da gestão de talentos capacitar, atualizar e desenvolver seus profissionais, tudo isso por meio de políticas de gestão que sejam condizentes com a estratégia da empresa. Isso inclui a qualidade de vida no trabalho, oportunidades de desenvolvimento na carreira das pessoas e um ambiente saudável.

Processos aplicáveis à gestão de talentos

São vários os processos aplicáveis à gestão de talentos. Eles se complementam entre si para garantir a eficiência do conjunto de ações. Confira!

Compreensão e alinhamento dos objetivos do negócio

O primeiro passo é ter uma visão clara dos objetivos do negócio. A partir disso, o gestor de talentos poderá tomar as melhores decisões em relação à busca, à atração e à retenção de profissionais. Portanto, é preciso entender qual é o foco da empresa e que talento será necessário para atingir seus objetivos.

A partir disso, é preciso mapear quem são e onde estão os melhores profissionais. Com uma boa fotografia do que se busca, com os canais e locais certos e com um processo muito bem estruturado para avaliar os candidatos, é possível encontrar as melhores opções do mercado e dar início ao processo seletivo.

Seleção dos profissionais ideais

Se a primeira etapa for bem desenvolvida, você terá uma ideia exata de que profissional está buscando — isso facilita a escolha do candidato ideal para a estratégia do negócio. Desde as habilidades e competências até o perfil profissional, é preciso selecionar os talentos que mais se aproximam do que a empresa necessita.

Lembre-se que, no momento de priorizar entre habilidades, conhecimentos e atitudes, quanto mais técnica for a característica que falta no candidato, mais fácil será treiná-lo. No entanto, treinar comportamentos, atitudes e personalidade é uma missão bem mais difícil.

Treinamento e desenvolvimento

A próxima etapa importante da gestão de talentos é capacitar o novo colaborador para atuar na sua função. Para isso, opte por realizar uma integração adequada, treinamentos, apresentação da empresa, de objetivos, do código de ética e das oportunidades de melhoria.

Desenvolver trabalhadores também diz respeito a reconhecer seus esforços e talentos potenciais, acreditar neles e fomentar a educação e a capacitação. Propor desafios e dar autonomia aos colaboradores também são fatores de transformação e desenvolvimento.

Uma pesquisa realizada pela Kienbaum alemã mostra que, apesar de os 83% dos talentos respondentes terem a responsabilidade de se desenvolver, apenas 42% das empresas realmente permitem que eles gerenciem seu próprio desenvolvimento. Isso significa uma baixíssima condição de melhoria autônoma por parte dos talentos.

Mapeamento das competências

Essa atribuição diz respeito a traçar o potencial de desenvolvimento dos colaboradores. Além disso, seus níveis de performance e resultados podem ser mensurados por uma avaliação de desempenho. Essas ações são necessárias para identificar as reais oportunidades de melhoria.

Outra vantagem que pode ser gerada pelo mapeamento de competências e pela avaliação de desempenho é o crescimento do colaborador dentro da organização. Isso significa uma promoção, ou seja, outro forte fator motivacional sob responsabilidade da gestão de talentos.

Oportunidades de carreira

Como citado, as oportunidades de desenvolvimento e de carreira são uma ótima estratégia de retenção e gestão de talentos. Por isso, é preciso reconhecer quando um profissional é capaz de lidar com exigências maiores do que as da sua função, criando recompensas que realmente façam sentido para ele.

Outra responsabilidade atribuída à gestão de talentos é o planejamento sucessório. É necessário pensar em todas as possíveis substituições que poderão ocorrer na organização, especialmente as de cargos estratégicos. Por isso, é importantíssimo planejar como ocorrerá a sucessão, quem é o profissional em condições de assumir determinado cargo e quando fazer isso.

Desligamento

Por fim, a gestão de talentos se encerra na melhor execução do desligamento de funcionários, sempre que necessário. Essa também é uma etapa estratégica, afinal, é responsabilidade da empresa reconhecer quando as pessoas estão ou não alinhadas ao negócio.

Para isso, é preciso desenvolver um processo estruturado e eficiente de desligamento. Uma boa gestão de talentos consegue dar suporte aos colaboradores desligados, seja para encaminhar sua aposentadoria ou mesmo para impulsionar sua recolocação no mercado.

A gestão de talentos é uma área bastante completa, que acompanha desde a chegada de um profissional na empresa até a sua saída efetiva. Portanto, é essencial que todos esses processos façam parte da estratégia empresarial, reforçando a qualidade da sua marca empregadora e da sua entrega de resultados.

Se você quer ir além deste conteúdo e descobrir mais sobre gestão de talentos e desenvolvimento de potenciais lideranças, temos uma sugestão: leia este post!

Powered by Rock Convert
184 Views
Você também pode gostar

1 comentário em “Veja porque é importante definir uma estratégia de gestão de talentos aliada à estratégia organizacional

  1. Com certeza o RH têm um papel fundamental na estratégia da empresa, porém o “Top management ” , muitas vezes também não está conectado com o plano estratégico da empresa, e acaba focando somente nos objetivos que são relacionados ao resultado financeiro, porque não possui “Skills”necessários para focar no desenvolvimento e retenção de profissionais competentes. Ainda hoje encontramos grandes empresas com o grupo de RH fraco, e isto reflete na qualidade das contratações e na retenção de profissionais que poderiam gerar mais do que realmente geram. Isto cria um ambiente pobre, com falta de desafios, e quando é necessário a reposição de pessoas chaves, a busca é feita fora da empresa. Isto gera uma empresa sem identidade, sem criatividade, e por consequência um “Turnover”alto .

Deixe uma resposta

-