Governança corporativa: um pilar para a boa gestão empresarial

7 minutos para ler

Governança corporativa é um termo bastante usado no meio empresarial, principalmente nos últimos anos. No entanto, é possível que nem todos tenham clareza sobre o que ele significa, como funciona, a sua importância e os benefícios que é capaz de gerar.

Pensando nisso, separamos no post de hoje as informações mais relevantes para você entender por que a governança corporativa é um pilar indispensável para a boa gestão empresarial. Ficou curioso? Vamos conferir!

O conceito de governança corporativa

Em linhas gerais, a governança corporativa é uma espécie de sistema que define critérios de direção, monitoramento, incentivo, relacionamento e outros fatores relativos aos envolvidos no negócio, tais como conselho administrativo, diretoria, órgãos fiscalizadores e outros.

Esse sistema acaba instituindo um conjunto de boas práticas que têm por objetivo aumentar a confiança de acionistas, investidores, colaboradores e fornecedores em quem administra de fato a empresa. Isso tudo com vistas a melhorar o desempenho econômico do negócio.

Para que seja possível praticar esse método, a governança corporativa segue alguns princípios que a norteiam. Você pode conhecê-los no tópico a seguir.

Os princípios básicos

Como citado, a finalidade da governança corporativa é estabelecer uma relação de confiança entre a administração da empresa e as demais partes envolvidas. Para isso, sua atuação é regida por 4 princípios importantes.

Transparência

A transparência garante que cada uma das partes terá acesso a quaisquer informações que considerem de seu interesse. Desse modo, é necessário exceder os relatórios econômico-financeiros e fornecer inclusive informações intangíveis, que dizem respeito ao gerenciamento da empresa.

Equidade

Já a equidade está relacionada a um tratamento igualitário e justo para todas as partes envolvidas, incluindo os sócios. Para isso, é muito importante considerar:

  • necessidades;

  • direitos;

  • expectativas;

  • interesses;

  • deveres.

Prestação de Contas

Também abordado como Accountability, esse princípio estabelece que todas as contas devem ser prestadas de maneira simples, clara e compreensiva para quem as recebe. Assim, os agentes de governança assumem as consequências de seus atos em caso de omissão, negligência ou irresponsabilidade na execução dessa função.

Responsabilidade Corporativa

A responsabilidade corporativa diz respeito à capacidade econômico-financeira que a empresa tem de continuar atuando. Portanto, é dever dos agentes de governança reduzir ao máximo as interferências negativas do negócio e aumentar as positivas, utilizando recursos e ferramentas de gestão.

O funcionamento da governança corporativa

O funcionamento da governança corporativa acontece basicamente a partir da definição de regras de atuação, ou como dito, de boas práticas de gestão. Com isso, a administração assume:

  • mais agilidade;

  • autonomia;

  • transparência.

O resultado disso, ou sua finalidade, é a criação de um ambiente propício para o aprimoramento constante dos processos administrativos. Isso vai desde as decisões estratégicas até eventuais discordâncias entre sócios.

Se fosse possível definir uma sequência de funcionamento da governança corporativa, seria a seguinte:

  1. definição de um conjunto de regras que mapeiam a rotina da empresa;

  2. conhecimento das regras pelas partes envolvidas;

  3. aplicação das regras sempre que houver um impasse ou decisões estratégicas importantes.

Desse modo, a governança corporativa é que vai indicar quem tem a palavra final para tomar algumas decisões, quem tem poder de voto, quem pode aprovar orçamentos e assim por diante.

Os passos para aplicar

A implementação da governança corporativa exige o cumprimento de alguns passos importantes, tais como a definição dos valores essenciais da empresa. Se você quer entender um pouco melhor como isso se torna realidade em uma empresa, continue conosco!

Definir uma hierarquia

O primeiro passo é definir uma hierarquia clara, que norteie as equipes sobre quem, de fato, responde ou toma determinadas decisões. Um exemplo que demonstra a importância da hierarquia são aqueles casos em que um funcionário é supervisionado por mais de uma pessoa.

Nessas situações, se todos os seus supervisores realizarem solicitações, fica difícil atender a todas elas com eficiência e prontidão, não é mesmo? Ainda mais se essas solicitações forem interferentes entre si. Por isso, é imprescindível esclarecer quem está liderando cada equipe e a quem ela deve reportar para definir prioridades e alinhar atividades.

Além disso, em alguns casos, na governança corporativa a posição da “presidência” pode ser rotativa entre os membros da diretoria. Isso também deve estar claro na definição da hierarquia.

Acompanhar e registrar projetos

Esse é um meio importante de estimular a governança corporativa. Trata-se de uma forma de reunir equipes, sócios e o conselho administrativo. Dessa forma, é altamente eficaz acompanhar os projetos que estão surgindo ou aqueles que já estão em andamento, aplicando diretrizes e realizando planos de ação.

De certa forma, isso auxiliará a manter um controle administrativo da empresa e acompanhar os seus progressos em relação a metas e indicadores.

Outra parte muito importante é registrar tudo o que ocorre nas reuniões, de forma organizada em atas. Esses registros, junto dos balanços financeiros, projeções e outros, servem tanto como meio de apresentação da empresa para novos investidores quanto para simples prestação de contas aos sócios.

Criar um conselho consultivo

Estabelecer um conselho consultivo é uma forma de contar com sugestões válidas sobre a gestão da empresa, compostas de opiniões emitidas por profissionais com mais expertise de mercado, além de contar com perfis diferentes reagindo às mesmas situações.

O conselho é composto por um grupo de até 5 pessoas, altamente capacitadas e de confiança, que possam auxiliar periodicamente. Para isso funcionar, é preciso levar as principais dificuldades da empresa para as reuniões, permitindo que o conselho oriente e sugira as próximas tomadas de decisão.

A importância e os benefícios

A importância da governança corporativa se dá pelo impacto que ela é capaz de gerar em diferentes esferas da administração. Confira algumas delas:

  • esfera familiar — preserva os valores e crenças familiares, ajuda na manutenção e expansão do patrimônio familiar, fomenta o amadurecimento dos sócios, concilia conflitos familiares;

  • esfera societária — define regras de transações societárias, previne conflitos entre sócios, aprimora as decisões;

  • esfera da gestão — esclarece os papéis na gestão executiva, estimula os planejamentos estratégico e orçamentário, melhora a estrutura organizacional, atribui competências aos órgãos de gestão;

  • esferas internas — fortalece a estrutura de capital da empresa, melhora seus planos de crescimento, contribui para os processos de controle, aperfeiçoa a gestão de riscos.

Fora isso, outros benefícios podem ser percebidos. Veja!

Mais fontes de financiamento

Em relação às fontes de financiamento, a governança corporativa vira uma espécie de garantia de que os negócios poderão obter bons resultados ou que correm riscos menores que as demais empresas. Dessa forma, as fontes de financiamento aumentarão à medida que a governança atingir eficiência em sua atuação.

Credibilidade e confiança

Como já citado, a governança corporativa é também uma forma de demonstrar que a empresa tomará as melhores decisões, seja pela delegação às pessoas certas ou mesmo pela estrutura que ela é capaz de fornecer ao negócio. Dessa forma, fica mais fácil as pessoas envolvidas confiarem na empresa.

Maior visibilidade no mercado

Especialmente devido à clareza e transparência nos processos, a governança corporativa estabelece uma imagem favorável à empresa no mercado. Desse modo, ela ainda poderá conquistar muitas oportunidades.​

Prevenção de processos ineficientes

A governança acaba sendo uma ótima aliada contra quaisquer problemas que venham a surgir na empresa. Isso porque ela auxilia a estruturar os processos de forma clara e definida, racionalizando recursos e contribuindo para decisões mais inteligentes e eficientes, por consequência.

Agora que você já sabe o que é e como funciona a governança corporativa, que tal levar essa prática para dentro da sua empresa? Entre em contato com a gente, nós podemos ajudar!

54 Views
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-