A importância e os desafios da transformação digital em empresas familiares

7 minutos para ler

Mais que uma simples adoção às novas tecnologias, a transformação digital abrange a transformação ou a renovação dos processos de uma empresa e a ruptura com alguns paradigmas para a integração com a cultura digital.

Aderir a esse novo mindset é um desafio para qualquer organização, independentemente da estrutura, do tamanho ou do modelo de negócio. Para uma empresa familiar, especialmente, esse processo envolve a busca por equilíbrio entre as gerações de colaboradores e a adequação da cultura organizacional à nova realidade.

Confira este post para ver a importância da transformação digital em empresas familiares e descubra como elas devem superar os desafios nessa jornada rumo à cultura digital. Boa leitura!

A transformação digital no mundo corporativo

Não precisamos ir muito longe para ver exemplos de como as tecnologias digitais estão impactando a sociedade. A forma como os dispositivos móveis transformaram a relação entre consumidores e empresas é, sem dúvida, um dos aspectos fundamentais a serem considerados.

Nesse sentido, a transformação digital pode ser vista como o processo de mudança na maneira como as empresas geram valor em decorrência dessas tecnologias digitais — não só para os consumidores, mas para os parceiros de negócios, para os sócios e para a sociedade em geral também.

Tendo isso em vista, não é exagero dizer que as organizações que pretendem superar os desafios de um mundo cada vez mais digital precisam se envolver em um ritmo de adaptação e transformação contínua.

Ou seja, para as empresas, a transformação digital diz respeito à capacidade que elas têm de adaptar-se a um contexto cada vez mais evolutivo. De forma geral, podemos considerar alguns estágios de maturidade de uma empresa em relação à transformação digital. Veja mais:

Tecnologia sem transformação do negócio

Neste estágio, a empresa começa a adotar soluções digitais, mas segue sem fazer mudanças estruturais no negócio. Ela ganha em velocidade e precisão graças ao uso das tecnologias, mas ainda tem uma visão de negócios conservadora. Grande parte das empresas familiares ainda está nesse estágio.

Tecnologia como parte do negócio

Neste ponto a empresa investe em tecnologia e adota essas soluções como componentes importantes dentro do processo produtivo. Portanto, a inovação também começa a fazer parte do negócio. Podemos dizer que esse é um estágio de transição para a verdadeira transformação digital.

Tecnologia como estratégia de negócio

Neste estágio, o uso das tecnologias já faz parte das decisões estratégicas do negócio. Ou seja, existe realmente uma mudança estrutural e a transformação vai além da simples adoção de soluções digitais.

Naturalmente, a cultura da inovação permite mais colaboração entre os profissionais da empresa e as transformações tendem a ser mais profundas e impactantes.

Modelo de negócio disruptivo

Aqui a empresa já tem uma infraestrutura convergente e apoiada em inovação e tecnologia. Normalmente, são negócios que já foram criados em um contexto de maturidade digital. As startups são os maiores exemplos desse formato.

Inovação impulsionada pela tecnologia

Por fim, existe o estágio em que a empresa já tem um grau elevado de maturidade em relação aos processos digitais e está apta a inovar regularmente impulsionada pelas tecnologias.

Falando especificamente sobre empresas familiares, o caminho por esses estágios da transformação digital ainda está no início. A última Pesquisa Global de Empresas Familiares realizada pela consultoria PwC, em 2016, concluiu que apenas 7% das empresas familiares estão satisfeitas com o lugar que ocupam nessa era digital.

Como você pode ver, os desafios são complexos e exigem rupturas com aspectos tradicionais da gestão de empresas. Por outro lado, existem caminhos frutíferos para que isso aconteça da melhor forma.

O equilíbrio entre as gerações nas empresas familiares

Quando falamos em mudanças estruturais no negócio nos referimos principalmente à cultura organizacional. Não é possível aderir efetivamente à transformação digital deixando de lado fatores como cultura e influência da sociedade no contexto empresarial.

Isso quer dizer que é crucial entender como as novas gerações de colaboradores da empresa lidam com o contexto atual para estruturar caminhos e estratégias alinhadas com o que o mercado espera.

É fato que os profissionais que fazem parte dessa geração — que chamamos de millennial — são mais ágeis, pensam e agem com mais rapidez e, com o auxílio da tecnologia, têm mais facilidade para consumir informações e ter acesso à educação e ao conhecimento de modo geral.

Por esse motivo, eles têm um senso mais apurado de inovação. Então, para gestores de empresas familiares, a troca de conhecimento com essa geração de profissionais é fundamental e pode trazer resultados muito positivos.

Adaptar modelos de negócio que podem estar ultrapassados ao novo contexto de mudanças profundas no mercado é uma excelente oportunidade para iniciar o caminho em direção à transformação digital.

Os caminhos para a transformação digital em empresas familiares

Ao entender os aspectos que envolvem o processo de digitalização e trabalhar com a mentalidade de aprimoramento da cultura organizacional conforme o contexto atual, as empresas familiares podem estabelecer uma trajetória rumo à transformação digital. Para tanto, alguns fatores são essenciais:

Transformando a cultura organizacional

Como mencionamos, mais do que um desafio tecnológico, adotar o pensamento digital é um desafio cultural. Isso quer dizer que a transformação digital é uma combinação entre os recursos tecnológicos e os humanos.

A construção do entendimento tecnológico dentro da empresa, nesse caso, passa pela revisão dos valores que foram instituídos como cultura organizacional, identificando os caminhos que facilitem a inovação sem deixar de lado a história e as origens do empreendimento.

Isso significa que a empresa deve desenvolver as competências digitais nas quais as pessoas, os processos do negócio e a estrutura estejam alinhados com um conjunto de objetivos organizacionais.

Iniciando a digitalização

Adaptando a cultura organizacional para a inovação, o caminho fica aberto para o que chamamos de digitalização da empresa. Isso significa não apenas automatizar alguns processos do negócio com base em inovação, mas adotar uma mentalidade digital. Confira alguns elementos que devem ser considerados durante essa digitalização:

  • adoção de softwares para automação de processos;
  • uso da comunicação digital;
  • ação de práticas de segurança digital.

Essa digitalização dos processos do negócio ou da produção não é fácil de alcançar — e é aqui que o suporte da nova geração de talentos faz muita diferença.

Contando com uma consultoria

Existem consultorias especializadas em serviços de governança para empresas familiares. Elas estão aptas, inclusive, a auxiliar na aproximação entre as gerações que compõem o negócio.

O objetivo é ajudar as atuais lideranças a mudar e a adaptar a empresa para abrir espaço para eventuais transformações do negócio por parte da nova geração. Para tanto, é fundamental que os gestores estejam cientes de que a transformação digital em empresas familiares é um bem necessário.

Como você pôde perceber, a digitalização faz parte do processo de transformação digital e da profissionalização das empresas familiares. Quer continuar aprendendo sobre esses assuntos? Leia também nosso artigo sobre a importância do planejamento sucessório em empresas familiares.

40 Views
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-