Liderança

Case de sucesso: veja como Marisol evoluiu com a consultoria da Kienbaum

Kienbaum Brasil
Escrito por Kienbaum Brasil

Um dos processos mais sensíveis no âmbito corporativo é o da sucessão empresarial, ainda mais quando o negócio é familiar. Este post traz um case de sucesso sobre o assunto, utilizando a história da empresa Marisol para você entender melhor a estruturação e desenvolvimento deste processo, tendo uma amostra de como a Kienbaum presta serviços na área.

Quando alguém começa a empreender, a finalidade é trabalhar pelo sucesso do negócio, que, conquistado, tende a perpetuar a participação do empreendimento no mercado. Assim, o precursor precisa ser substituído e dar as diretrizes necessárias para a continuidade da boa gestão implementada pelas novas gerações.

Continue a leitura para entender como a consultoria de uma empresa especializada em recursos humanos é essencial para o plano sucessório.

O que é a sucessão empresarial?

É um processo de transferência do controle organizacional que ocorre em cargos estratégicos em que, resumidamente, o gestor ocupante daquele posto de trabalho passa suas responsabilidades a um sucessor.

Quando uma sociedade é adquirida ou assumida, o capital, a administração, contratos, dívidas e créditos precisam ser geridos, recaindo também imputações legais sobre o novo responsável.

A sucessão empresarial ocorre por alteração no quadro societário, mudança de natureza jurídica, falência ou recuperação judicial, cisão, fusão ou incorporação de sociedades, venda do negócio ou herança (falecimento ou aposentadoria do parente), sendo que, segundo o Sebrae, 90% dos empreendimentos brasileiros são de empresas familiares.

Em todos os casos, é necessário fazer a transferência de controle de forma organizada e efetiva para não comprometer o bom funcionamento da organização. Por isso, a melhor forma de garantir a ordem e evitar perdas financeiras é contar com especialistas em RH para estruturar e promover o plano sucessório, como os consultores da Kienbaum.

Qual a história da empresa Marisol S.A?

Fundada em 1964, sua atuação é destaque no setor vestuário brasileiro, sob o lema de “vestir o corpo e a alma das pessoas”. Com instalações no Ceará e Santa Catarina, a organização tem marcas famosas, como Marisol, Lilica Ripilica e Tigor T. Tigre, e está sempre antecipando as tendências do mercado.

O comprometimento da Marisol com a comunidade local, colaboradores, investidores e fornecedores é notada pela preocupação com a transparência. Seus documentos societários são disponibilizados no site da companhia, assim como os demonstrativos financeiros e balanços anuais com indicadores sociais.

Os bons resultados obtidos são creditados à governança corporativa que, segundo Giuliano Donini, atual presidente da empresa, é fator priorizado desde quando seu tio e depois o pai ocupavam o cargo.

Como a Kienbaum contribuiu com a Marisol?

Há 18 anos, nossa parceira chegou até nós a fim de realizar o plano de sucessão, processo que envolveu Donini, o irmão e mais três executivos da companhia. A presidência era então ocupada pelo patriarca da família.

A etapa sucessória durou 7 anos, sem postergações, período longo projetado de acordo com as ambições dos dirigentes da Marisol. Segundo o atual CEO da empresa, os envolvidos entendiam que “sucessão não é somente um movimento de troca de comendo, e sim um processo organizacional e cultural”.

De tal forma, para não sacrificarem os interesses da companhia em detrimento de ambições, colaboradores de fora do âmbito familiar foram considerados candidatos ao cargo sucessório. Estes executivos serviam, inclusive, como referência para Donini e o irmão.

Segundo o CEO, a Kienbaum “ajudou a garantir a tecnicidade e disciplina que um processo como esse pressupõe”, além de “minimizar a carga emocional que acaba acontecendo e que pode ofuscar, atrapalhar ou influenciar de forma errada as decisões que devem ser tomadas”.

Nossos consultores trabalham com imparcialidade a fim de manter o equilíbrio do procedimento e a escolha ideal do sucessor, tudo de acordo com “uma leitura adequada do ambiente e da cultura interna”, conforme atesta Donini.

No último ano de implementação do processo, ele foi eleito para assumir a presidência por ter o perfil mais indicado ao cargo. Seu irmão, com outro perfil, assumiu outra companhia da holding familiar, em outro segmento, onde está desde então atuando também com muito sucesso.

Quais foram os resultados deste case de sucesso?

Além de garantir a ordem, a continuidade da boa gestão e evitar conflitos, o processo de sucessão desenvolvido pela Kienbaum contribuiu para o alinhamento de propostas na Marisol.

Por exemplo: no último ano do projeto, quando ficou decidido quem assumiria a presidência, o sucessor manifestou o desejo de trocar a posição de um dos colaboradores. Donini tinha novas perspectivas para aquele cargo, então ocupado pelo mesmo funcionário havia mais de trinta anos.

Pelo modelo cultural da Companhia, por decisão do pai, e com suporte da Kinebaum, foi estabelecido que o pai já implementaria a mudança, e assim foi feito. Essa foi uma decisão “importante para o processo de pós-sucessão”, segundo o CEO, pois evitou o impacto negativo das alterações realizadas para a equipe, atenuando a comum sensação de insegurança quando um novo presidente assume a empresa.

A ideia era transparecer o que o movimento pressupunha,  que não era uma ruptura, mas a continuidade da gestão familiar — uma reoxigenação. Nós garantimos a condução do processo sucessório de forma leve, respeitosa, preocupada com a governança corporativa, cultura e clima organizacional.

Outro resultado deste case de sucesso indicado por Donini foi promover um melhor entendimento da estrutura organizacional como um elo de acordos implícitos e explícitos: os sócios e executivos moldaram o negócio do zero, readequando-se periodicamente a partir do plano base.

Quem sucede muitas vezes não tem ideia do que se passou antes, do quanto a empresa evoluiu para chegar até ali e quais preceitos fundamentam a relação entre os envolvidos. A Kienbaum assegurou a adaptação do sucessor com a gestão, criando elo e espaço para ele propor as mudanças e ouvir quem já tinha muita experiência no assunto.

Por que vale a pena investir na Kienbaum?

Empregamos as melhores técnicas em recursos humanos não apenas para garantir a segurança da transição perante os demais colaboradores, mas também para capacitar o sucessor a assumir o novo cargo. Avaliações de desempenho e coaching executivo são exemplos das ferramentas utilizadas.

Donini, o CEO da MARISOL neste case de sucesso em questão, ressalta a necessidade ou ganho para o grau de empatia e alinhamento construído com o consultor, o que foi muito alto com o da Kienbaum designado para o projeto. Nossos profissionais têm experiência no ramo corporativo e sabem conduzir com técnica, sensibilidade e conhecimento de causa o plano de sucessão.

Entendemos o quão difícil é manter a governança corporativa que fez o sucesso da empresa enquanto novas gerações chegam aos cargos estratégicos e, ao mesmo tempo, a tecnologia demanda inovação nos processos e dinamiza a tomada de decisão.

A Kienbaum oferece uma visão imparcial de toda a estrutura organizacional, entendendo as necessidades e anseios a curto, médio e longo prazos da administração atual e encontrando os candidatos ideais para as mudanças internas e externas.

Você tem muito a ganhar quando investe em uma empresa de RH para efetuar o plano sucessório no seu empreendimento, da governança corporativa até o clima organizacional. Garanta a continuidade da boa gestão contratando a Kienbaum para gerir seu case de sucesso!

Somos capacitados para cuidar do seu negócio tão bem quanto você, colocando sempre os interesses da companhia em primeiro lugar. Entre em contato conosco!

Sobre o autor

Kienbaum Brasil

Kienbaum Brasil

Fausto Alvarez - Partner Kienbaum SP

Axel Werner- Partner Kienbaum SP

Deixar comentário.

Share This