Entenda de que maneira a liderança deve lidar com a demissão

lidar com a demissão
6 minutos para ler

O processo de demissão não é fácil. Mesmo os líderes mais experientes têm dúvidas e, no decorrer do desligamento, alguma insegurança com o assunto. Mas ele é inevitável e todo líder de equipe deve saber lidar com a demissão dos seus colaboradores.

Em geral, o término do contrato é uma etapa delicada. O gestor deve encontrar saídas para fazê-lo com o mínimo de prejuízo às partes interessadas — isto é, ao funcionário e à organização. Para tanto, é preciso ter certeza da decisão e contar com o apoio do RH.

Para ajudá-lo nessa tarefa, reunimos uma série de informações e dicas de como lidar com a demissão dos colaboradores. Portanto, leia com atenção os próximos tópicos!

Como se preparar para lidar com a demissão?

O primeiro passo é estar preparado. Nenhum desligamento deve ser um processo pouco pensado, pois o líder está mexendo na força de trabalho, na estrutura do time e na carreira do profissional. Ou seja, é um processo muito sério. Veja como se preparar!

Tenha certeza da demissão

Os motivos que levam ao desligamento do profissional podem ser vários, como o corte de gastos com folha de pagamento. No entanto, o mais comum é a falta de preparo ou entrega do profissional. A questão é: como saber se o empregado merece ser desligado?

É preciso olhar dois itens: a entrega de resultados nos últimos meses e o alinhamento com os valores da empresa (hoje, chamado de fit cultural). Os profissionais talentosos preenchem os dois requisitos, eles realmente não merecem ser eliminados do quadro.

Tenha bases consistentes

Uma coisa é achar que o profissional não é competente e nem alinhado à cultura da empresa, outra é aplicar métodos de avaliação de desempenho e constatar isso. O líder deve ter bases consistentes para a demissão e para isso não basta a própria opinião.

Então, faça uma avaliação em 360 graus — com a opinião de colegas de trabalho, subordinados, superiores e até clientes, se for o caso. Veja o funcionário por diversos ângulos e analise no que ele é bom e no que é ruim. Assim, terá acerto na decisão.

Conte com o apoio do RH

O RH é o setor responsável pela relação empregado-empregador, então, certamente é o que pode dar mais apoio ao longo da demissão. Se reúna com o gestor de pessoas e avalie se está na direção certa, também peça dicas para fazer o desligamento.

Em geral, profissionais de RH têm experiência prática no assunto. Eles mesmos já demitiram mais de uma pessoa, por isso conhecem bem os “gargalos” do processo. Ao lado do RH, poderá fazer da análise 360 graus até o comunicado oficial de demissão.

Evite o vazamento de informações

Por fim, evite qualquer vazamento de informações. Isso prejudicaria o clima de trabalho e também afetaria a produtividade e a motivação dos empregados. Quando há rumores de que alguém vai sair, sem saber ao certo quem, todos acabam afetados.

Em razão disso, o recomendado é ter uma política de sigilo absoluto até o comunicado da demissão. Não adianta fazer ameaças de que haverá corte da folha no fim do mês ou coisa parecida, isso prejudica o senso de estima e cria um clima tóxico ao trabalho.

Como demitir um funcionário adequadamente?

A demissão é um processo com início, meio e fim. Não adianta atropelar partes e nem fazê-lo pela metade, o líder deve ter paciência e percorrer as etapas com acerto. É preciso planejar o que será dito e evitar constranger o empregado, entre outras coisas.

Planeje a reunião

A reunião para a demissão deve ser equilibrada. O líder deve dar alguma satisfação da razão para o término do contrato de trabalho, porém, não precisa se alongar demais e tornar o momento mais difícil do que é. É preciso ser objetivo, sem perder a empatia.

Por essa razão, o recomendado é ter horário e local marcado, pensar de modo prévio no que será dito e como. A reunião não deve acontecer de improviso, afinal, a situação é delicada e pede cuidado. É preciso planejar tudo, até mesmo o que será comunicado.

Evite constranger o empregado

É fundamental evitar qualquer tipo de constrangimento. Por exemplo, falar que o profissional está sendo desligado porque é muito ruim no que faz. Mesmo que isso seja verdade, há formas mais apropriadas e sistêmicas de fazer isso.

A ideia é: não seja agressivo nas palavras. O constrangimento ao empregado pode se reverter em sério dano à empresa, pois o constrangido pode buscar por seus direitos na justiça. Além disso, não é uma forma profissional de pôr fim à relação de trabalho.

Seja transparente

Muitos líderes recorrem à justificativa de “corte de gastos” para explicar a demissão. Algumas vezes isso é verdade, mas em várias outras situações é uma tática para se esquivar de conflitos, tensões e tornar o momento menos doloroso para si próprio.

O recomendado é adotar uma postura mais transparente. Com cordialidade, explique que o profissional não se encaixa na cultura organizacional ou está com desempenho abaixo do esperado. Mesmo difícil, é o melhor para o desenvolvimento do colaborador.

Ouça o funcionário

Por alguns minutos, se disponha a ouvir o empregado. Alguns darão justificativas, outros agradecerão pelo tempo juntos e ainda outros farão críticas à empresa. Todo retorno é bem-vindo e pode contribuir para o crescimento do líder e do negócio.

Caso o funcionário não queira falar na primeira reunião, marque uma entrevista de desligamento — que geralmente ocorre nos últimos dias, após o aviso prévio. Pergunte os pontos fracos da companhia, da liderança e o que pode ser aprimorado.

Como tornar esse processo mais natural?

A demissão sempre será um momento difícil, em especial para os líderes com alto grau de empatia. Mas o processo pode ser mais humano, completo e natural, a depender da qualificação do seu condutor.

Por causa disso, é importante se aprimorar continuamente, como participar de programas de desenvolvimento de líderes e outros cursos de liderança de pessoas. Desse modo, cada etapa da relação com o funcionário será mais saudável, completa e acertada.

A liderança deve lidar com a demissão de maneira estratégica, transparente e equilibrada. Não é um processo fácil, muito menos agradável, mas é importante ao trabalho. Ao desligar os funcionários menos compatíveis com o negócio, torna-se possível contratar novos talentos, fortalecer a cultura e a estratégia de atuação.

Agora você está por dentro do tema e sabe como lidar com a demissão. Só não se esqueça que a liderança é um aprendizado diário. Temos soluções específicas para ajudar no seu crescimento, então, aproveite para entrar em contato conosco!

32 Views
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-